UFOTVONLINE - Notícias de outro mundo

Sinal Wow na busca por vida inteligente no papel

sinal_wow.jpgNa semana passada (1-10-2010), a notícia sobre a descoberta de um planeta similar à Terra que poderia hospedar vida foi capa de diversos diários, incluso o MDig, mas se um renomado astrônomo australiano não ficou louco de uma hora para outra e o que ele diz resultar verdadeiro, talvez estejamos na presença de um das maiores descobertas da história da humanidade. Segundo o astrônomo Ragbir Bhathal, integrante do programa SETI -dedicado à busca de inteligência extraterrestre-, em dezembro de 2008 ele mesmo conseguiu captar um misterioso e único pulso de luz proveniente precisamente dos arredores de Gliese 581.

 

 

Uma vez registrado o sinal, o astrônomo de imediato começou a analisar se este poderia ter sido gerado por causas naturais, mas não encontrou nenhum indício que apontasse nesse sentido.

Sinal Diferente

http://www.mdig.com.br/imagens/curiosidade/sinal_et_Ragbir_Bhathal.jpg
No entanto, o que mais intrigou os pesquisadores e tornou o sinal "wow" particularmente interessante, foi o modo como cresceu e diminui de intensidade durante os 72 segundos de duração. Por que?

radiotelescopio_big_ear.jpgO radiotelescópio Big Ear não é giratório e sim fixo no solo. Seu movimento de varredura é dado pela própria rotação da Terra e capta os sinais provenientes do espaço através de um feixe de recepção bastante estreito apontado para o infinito. Como em todas as antenas parabólicas ou direcionais, a sensibilidade é maior na região central do feixe, diminuindo nas laterais. Assim, sempre que uma fonte de rádio vinda do espaço cruzava o radiotelescópio, essa aumentava de intensidade quando a rotação da Terra trazia o sinal para o centro do feixe e diminuía logo em seguida.

No caso do Big Ear, a largura desse feixe de recepção era extremamente estreita, com 8 minutos de arco e qualquer sinal que viesse do espaço levava sempre 72 segundos para atravessar o feixe. E foi exatamente isso o que ocorreu naquela noite.

Bhathal comenta que sempre que há uma noite clara, vai até o observatório para apreciar alguns objetos celestes. Foi precisamente enquanto observava um desses objetos quando encontrou o sinal, um pulso muito longo e que coincidia com o que costumam buscar.

gliese-581.jpgMuito intrigado pela descoberta Bhathal seguiu olhando por vários meses os arredores de Gliese 581, para ver se conseguia captar novamente algum tipo de sinal originado nessa zona, sem obter resultados positivos. Claro que de qualquer jeito deixou um chamativo registro escrito a mão no papel onde registrou o tal pulso, dizendo "Isto é um ET?", algo muito similar ao que aconteceu com o registro do sinal WOW.


Decorridos só em alguns meses depois de que Bhathal captasse o misterioso sinal, os astrônomos anunciaram a descoberta de três planetas ao redor da anã vermelha Gliese 581 (Gliese 581e, Gliese 581c e o Gliese 581d), mas por sua localização não tiveram certeza sobre se poderiam ser planetas habitáveis -encontravam-se nas bordas da chamada zona habitável.



091201-planets-distance-habitable-zone.jpg

Agora que se confirmou a existência do planeta Gliese 581g os cientistas se mostraram muito cautelosos com respeito à possibilidade da existência de vida -ainda que seu descobridor Steven Vogt esteja convencido de que isso é real-. Talvez seja hora de que coordenem esforços em buscas de novos sinais a partir dessa zona. Imaginem só se o sinal captado por Bhathal não foi fruto da casualidade e estamos na iminência do primeiro "contato imediato".

Fonte: Apolo11